sábado, 26 de dezembro de 2009

Happy Xmas (War Is Over)


Feliz Natal (A Guerra Acabou)
Composição: John Lennon e Yoko Ono

So this is christmasEntão é natal
And what have you done E o que você tem feito?
Another year over Um outro ano se foi
And new one just begun E um novo apenas começa


And so this is christmasE então é natal
I hope you have fun Espero que tenhas alegria
The near and the dear one O próximo e querido
The older and the young O velho e o Jovem


A very merry christmasUm alegre Natal
And a happy new year E um feliz ano novo
Let's hope it's a good one Vamos esperar que seja um bom ano
Without any fear Sem sofrimento


And so this is christmas (war is over...)E então é natal (e a guerra terminou...)
For weak and for strong (...if you want it) Para o fraco e para o forte (...se você quiser)
The rich and the poor one Para o rico e para o pobre
The world is so wrong O mundo é tão errado


And so happy christmasE, então, feliz natal
For black and for white Para o negro e para o branco
For the yellow and red one Para o amarelo e para o vermelho
Let's stop all the fight Vamos parar com todas as lutas


A very merry christmasUm alegre Natal
And a happy new year E um feliz ano novo
Lets hope it's a good one Vamos esperar que seja um bom ano
Without any fear Sem sofrimento


And so this is christmasE então é Natal
And what have we done E o que nós fizemos?
Another year over Um outro ano se foi
And new one just begun... E um novo apenas começa...


And so happy christmasE então Feliz Natal
We hope you have fun Esperamos que tenhas alegria
The near and the dear one O próximo e querido
The older and the young E velho e o jovem


A very merry christmasUm alegre Natal
And a happy new year E um feliz ano novo
Let's hope it's a good one Vamos esperar que seja um bom ano
Without any fear Sem sofrimento


War is over - if you want itA guerra acabou , se você quiser
War is over - if you want it A guerra acabou , se você quiser
War is over - if you want it A guerra acabou , se você quiser
War is over - if you want it A guerra acabou , se você quiser

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Carta do Zé agricultor para Luis da cidade

A carta a seguir - tão somente adaptada por Barbosa Melo - foi escrita por Luciano Pizzatto que é engenheiro florestal, especialista em direito sócio ambiental e empresário, diretor de Parques Nacionais e Reservas do IBDF/IBAMA 88/89, deputado desde 1989, detentor do 1º Prêmio Nacional de Ecologia.

Carta do Zé agricultor para Luis da cidade

Prezado Luis, quanto tempo.

Eu sou o Zé, teu colega de ginásio noturno, que chegava atrasado, porque o transporte escolar do sítio sempre atrasava, lembra né? O Zé do sapato sujo? Tinha professor e colega que nunca entenderam que eu tinha de andar a pé mais de meia légua para pegar o caminhão por isso o sapato sujava.

Se não lembrou ainda eu te ajudo. Lembra do Zé Cochilo... hehehe, era eu. Quando eu descia do caminhão de volta pra casa, já era onze e meia da noite, e com a caminhada até em casa, quando eu ia dormi já era mais de meia-noite. De madrugada o pai precisava de ajuda pra tirar leite das vacas. Por isso eu só vivia com sono. Do Zé Cochilo você lembra né Luis?

Pois é. Estou pensando em mudar para viver ai na cidade que nem vocês. Não que seja ruim o sítio, aqui é bom. Muito mato, passarinho, ar puro... Só que acho que estou estragando muito a tua vida e a de teus amigos ai da cidade. To vendo todo mundo falar que nós da agricultura familiar estamos destruindo o meio ambiente.

Veja só. O sítio de pai, que agora é meu (não te contei, ele morreu e tive que parar de estudar) fica só a uma hora de distância da cidade. Todos os matutos daqui já têm luz em casa, mas eu continuo sem ter porque não se pode fincar os postes por dentro uma tal de APPA que criaram aqui na vizinhança.

Minha água é de um poço que meu avô cavou há muitos anos, uma maravilha, mas um homem do governo veio aqui e falou que tenho que fazer uma outorga da água e pagar uma taxa de uso, porque a água vai se acabar. Se ele falou deve ser verdade, né Luis?

Pra ajudar com as vacas de leite (o pai se foi, né ...) contratei Juca, filho de um vizinho muito pobre aqui do lado. Carteira assinada, salário mínimo, tudo direitinho como o contador mandou. Ele morava aqui com nós num quarto dos fundos de casa. Comia com a gente, que nem da família. Mas vieram umas pessoas aqui, do sindicato e da Delegacia do Trabalho, elas falaram que se o Juca fosse tirar leite das vacas às 5 horas tinha que receber hora extra noturna, e que não podia trabalhar nem sábado nem domingo, mas as vacas daqui não sabem os dias da semana ai não param de fazer leite. Ô, bichos aí da cidade sabem se guiar pelo calendário?

Essas pessoas ainda foram ver o quarto de Juca, e disseram que o beliche tava 2 cm menor do que devia. Nossa! Eu não sei como encumpridar uma cama, só comprando outra né Luis? O candeeiro eles disseram que não podia acender no quarto, que tem que ser luz elétrica, que eu tenho que ter um gerador pra ter luz boa no quarto do Juca.

Disseram ainda que a comida que a gente fazia e comia juntos tinha que fazer parte do salário dele. Bom Luis, tive que pedir ao Juca pra voltar pra casa, desempregado, mas muito bem protegido pelos sindicatos, pelo fiscais e pelas leis. Mas eu acho que não deu muito certo. Semana passada me disseram que ele foi preso na cidade porque botou um chocolate no bolso no supermercado. Levaram ele pra delegacia, bateram nele e não apareceu nem sindicato nem fiscal do trabalho para acudi-lo.

Depois que o Juca saiu eu e Marina (lembra dela, né? casei) tiramos o leite às 5 e meia, ai eu levo o leite de carroça até a beira da estrada onde o carro da cooperativa pega todo dia, isso se não chover. Se chover, perco o leite e dou aos porcos, ou melhor, eu dava, hoje eu jogo fora.

Os porcos eu não tenho mais, pois veio outro homem e disse que a distância do chiqueiro para o riacho não podia ser só 20 metros. Disse que eu tinha que derrubar tudo e só fazer chiqueiro depois dos 30 metros de distância do rio, e ainda tinha que fazer umas coisas pra proteger o rio, um tal de digestor. Achei que ele tava certo e disse que ia fazer, mas só que eu sozinho ia demorar uns trinta dia pra fazer, mesmo assim ele ainda me multou, e pra poder pagar eu tive que vender os porcos as madeiras e as telhas do chiqueiro, fiquei só com as vacas. O promotor disse que desta vez, por esse crime, ele não ai mandar me prender, mas me obrigou a dar 6 cestas básicas pro orfanato da cidade. Ô Luis, ai quando vocês sujam o rio também pagam multa grande né?

Agora pela água do meu poço eu até posso pagar, mas tô preocupado com a água do rio. Aqui agora o rio todo deve ser como o rio da capital, todo protegido, com mata ciliar dos dois lados. As vacas agora não podem chegar no rio pra não sujar, nem fazer erosão. Tudo vai ficar limpinho como os rios ai da cidade. A pocilga já acabou, as vacas não podem chegar perto. Só que alguma coisa tá errada, quando vou na capital nem vejo mata ciliar, nem rio limpo. Só vejo água fedida e lixo boiando pra todo lado.

Mas não é o povo da cidade que suja o rio, né Luis? Quem será? Aqui no mato agora quem sujar tem multa grande, e dá até prisão. Cortar árvore então, Nossa Senhora!. Tinha uma árvore grande ao lado de casa que murchou e tava morrendo, então resolvi derrubá-la para aproveitar a madeira antes dela cair por cima da casa.

Fui no escritório daqui pedir autorização, como não tinha ninguém, fui no Ibama da capital, preenchi uns papéis e voltei para esperar o fiscal vim fazer um laudo, para ver se depois podia autorizar. Passaram 8 meses e ninguém apareceu pra fazer o tal laudo ai eu vi que o pau ia cair em cima da casa e derrubei. Pronto! No outro dia chegou o fiscal e me multou. Já recebi uma intimação do
Promotor porque virei criminoso reincidente. Primeiro foi os porcos, e agora foi o pau. Acho que desta vez vou ficar preso.

Tô preocupado Luis, pois no rádio deu que a nova lei vai dá multa de 500 a 20 mil reais por hectare e por dia. Calculei que se eu for multado eu perco o sítio numa semana. Então é melhor vender, e ir morar onde todo mundo cuida da ecologia. Vou para a cidade, ai tem luz, carro, comida, rio limpo. Olha, não quero fazer nada errado, só falei dessas coisas porque tenho certeza que a lei é pra todos.

Eu vou morar ai com vocês, Luis. Mais fique tranqüilo, vou usar o dinheiro da venda do sítio primeiro pra comprar essa tal de geladeira. Aqui no sitio eu tenho que pegar tudo na roça. Primeiro a gente planta, cultiva, limpa e só depois colhe pra levar pra casa. Ai é bom que vocês e só abrir a geladeira que tem tudo. Nem dá trabalho, nem planta, nem cuida de galinha, nem porco, nem vaca é só abri a geladeira que a comida tá lá, prontinha, fresquinha, sem precisá de nós, os criminosos aqui da roça.

Até mais Luis.

Ah, desculpe Luis, não pude mandar a carta com papel reciclado pois não existe por aqui, mas me aguarde até eu vender o sítio.

(Todos os fatos e situações de multas e exigências são baseados em dados verdadeiros. A sátira não visa atenuar responsabilidades, mas alertar o quanto o tratamento ambiental é desigual e discricionário entre o meio rural e o meio urbano.)

é né, inté mais...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

"Sapos" - Percutindo Mundos

Não esqueça de aumentar o volume....



Ou você prefere ficar engolindo sapos?????

Inté mais

Lições de Sobrevivência

Lições tão sábias, sempre vale a pena relembrar...

Lição número um: Um urubu está pousado numa árvore, fazendo nada o dia todo. Um coelho viu o urubu e perguntou:
–Posso sentar como você e ficar fazendo nada o dia todo?

O urubu respondeu:
– Claro, por que não?
Assim, o coelho sentou-se embaixo da árvore e ficou descansando. Subitamente apareceu uma raposa que saltou sobre o coelho e o comeu...

MORAL DA HISTÓRIA: Para ficar sentado sem fazer nada, você precisa estar sentado muito, muito alto.

Lição número dois: O peru estava batendo papo com o touro.
– "Eu adoraria ser capaz de chegar ao topo daquela árvore", suspirou o peru,"mas não tenho força..."

– "Ora," replicou o touro, "por que você não come um pouco do meu esterco? Ele tem muitos nutrientes".

O peru bicou um pedaço de esterco e verificou que realmente isso lhe dava a força necessária para chegar ao primeiro galho de árvore. No dia seguinte, depois de comer mais uns bons nacos de esterco, ele chegou ao segundo galho. Finalmente depois de duas semanas, comendo esterco de boi, de búfalo, das zebras, ele estava orgulhosamente empoleirado no alto da árvore. Imediatamente foi visto por um fazendeiro que atirou nele...
MORAL DA HISTÓRIA: Qualquer bosta pode levar você ao topo, mas não manterá você lá.

Lição número três: Quando o corpo foi criado, todas as partes queriam ser chefe. O cérebro foi logo dizendo:
–Eu deveria ser o chefe, porque controlo todas as respostas e funções do corpo.
Os pés disseram:
–Nós deveríamos ser o chefe, porque carregamos cérebro para onde ele quiser ir.
As mãos disseram:
–Nós é que deveríamos ser o chefe, porque fazemos todo trabalho e ganhamos o dinheiro.
E assim foi com o coração, pulmões, olhos, até que chegou a vez de o cu falar. Todas as partes riram do cu por querer ser o chefe. E foi daí que ele entrou em greve, bloqueou-se e recusou-se a trabalhar..
Em pouco tempo os olhos ficaram vesgos, as mãos crisparam, os pés se retorceram, o coração e os pulmões entraram em pânico e o cérebro teve febre. No final todos, concordaram, e o cu passou a ser o chefe. Todas as outras partes, então, faziam seu trabalho, e o chefe ficava sentado e deixava a merda passar!

MORAL DA HISTÓRIA: Você não precisa de cérebro para poder ser um chefe; qualquer cuzão pode ser.


Lição número quatro: Era uma vez um pardal cansado da vida.... Um dia, resolveu sair voando pelo mundo em busca de aventura. Voou até chegar numa região extremamente fria e foi ficando gelado até não poder mais voar e caiu na neve. Uma vaca, vendo o pobre pardal naquela situação, resolveu ajudá-lo e cagou em cima dele. Ao sentir-se aquecido e confortável, o pardal começou a cantar. Um gato ouviu o seu canto e foi até lá, retirou-o da merda e o comeu....

MORAL DA HISTÓRIA:
1)Nem sempre aquele que caga em cima de você é seu inimigo;
2) Nem sempre quem tira você da merda é seu amigo;
3) Desde que você se sinta quente e confortável,mesmo que esteja na merda, fique de bico fechado!!!

Dica para Sábado - Chá na Concha


O por que de tudo isso?
Resolvemos.. .Quem resolveu?
Bom, somos pessoas vinculadas à loucura de alguma forma: loucos, cuidadores, familiares, curiosos, interessados, atraídos, admiradores. ..
Não precisamos de nome, de cargo, classificação ou distinção entre nós.
Somos seres humanos.
Temos em comum a vontade de resgatar uma discussão, há muito tempo banalizada, que é a da convivência com a loucura, em todos os espaços desta cidade.
Santos já se admirou com a capacidade expressiva de pessoas consideradas incapazes de se expressar... já se surpreendeu com o grau de autonomia que os considerados dependentes puderam alcançar...

Mais Informações cliquem De Lírios , ou veja um vídeo clicando aqui

sábado, 28 de novembro de 2009

Motor movido a Água !!!!!

Teste de bancada realizado na Fazenda Pivettas, com um motor estacionario de 1 pistão, inicialmente funcionando com gasolina e en seguida somente com hidrogenio; este foi gerado com un pequeno reator de placas de inox, "feito meio que nas coxas"....(más ...funciona!!)...



Inté mais

Faça seu Curta e ganhe prêmios

O Claro Curtas – Festival Nacional de Curtíssima Metragem valoriza a produção audiovisual realizada em curtíssimos formatos feita a partir de celulares, webcams, câmeras digitais e outros dispositivos móveis. A democratização do audiovisual revelou uma nova geração de criadores que realizam e compartilham a sua produção de vídeos por meio das novas mídias digitais.

Com o enorme sucesso da primeira edição do Festival Claro Curtas em 2008, e alinhado com a proposta do Instituto Claro, o Claro Curtas 2009 propõe, a partir deste ano, ações que visam estímulo, democratização, difusão e valorização do audiovisual voltado para mídias móveis no Brasil.

O Claro Curtas 2009 traz o tema SER DIGITAL – Aprendizado e Transformação na Sociedade do Conhecimento. A ideia é ampliar os debates sobre as possibilidades trazidas pelas novas tecnologias, suas formas de expressão e participação no mundo contemporâneo.

Neste ano, além de inscrever o seu curta no Festival, você pode aprimorar a produção dos seus vídeos com novos canais de aprendizado, reunidos em um Miniguia e em vídeos educativos. Olhar, pensar, fazer, compartilhar: o Claro Curtas quer inspirar novas criações, reflexões e pontos de vista.

Divirta-se assistindo aos vídeos educativos, baixe o Miniguia e descubra dicas e curiosidades que vão tornar seu curta ainda melhor.

O Festival reafirma a proposta inédita de incentivar a inclusão e a diversidade por meio da oferta de conteúdos audiovisuais acessíveis. A parceria com a ONG Mais Diferenças – que trabalha pela inclusão social e educacional de todos, prioritariamente das pessoas com deficiência – garante, ainda, a acessibilidade em todas as ações desta edição do Festival Claro Curtas, inclusive neste site.

Se você tem 16 anos ou mais, inscreva aqui o seu curta de 30 a 90 segundos e concorra a R$100 mil reais em prêmios!

O que é SER DIGITAL para você? Seu curta pode ganhar o mundo incentivando outras pessoas a expressar também suas ideias.


Maiores Informações: Claro Curtas

Curta no Blog - Maré Capoeira

Maré Capoeira
de Paola Barreto (14 min, 2005)

Maré é o apelido de João, um menino de dez anos que sonha ser mestre de capoeira como seu pai, dando continuidade a uma tradição familiar que atravessa várias gerações. Um filme de amor e guerra.




Inté mais

Saudades do Blog...

A pouco publiquei duas noticias sobre o ensino superior, antes disso fazia tempo que não publicava nada, foi um mês corrido, com novo emprego, exames médicos e mais correria, fiquei um tanto exausto em alguns dias, mas agora as coisas estão se reequilibrando, neste final de semana teremos novidades, abraços a todos que acompanham o blog.

Rogério Wong

Ensino Superior - 2

Mais uma do IG Educação:

Brasil está distante da meta do Plano Nacional de Educação.


Apenas 13,78% dos alunos de 18 a 24 anos estão matriculados no ensino superior gratuito. O baixo número mostra um abismo entre a democratização do ensino e a meta do Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado em 2001 pelo Congresso Nacional. Pelo Plano, em 2010, 30% de todos os jovens nessa faixa etária deveriam estar matriculados nas instituições públicas de ensino superior. “Houve um salto significativo de 2002 para cá mas temos outros problemas que impedem o cumprimento da meta”, afirma Maria Paula Dallari Bucci, secretária de Ensino Superior do MEC. “Existem mais jovens nas faculdades e universidades mas fora dessa faixa etária”, avalia.

Segundo ela, se forem contados toda a população matriculada em universidades, faculdades e centros universitários, sem levar em conta a faixa de 18 a 24 anos, a taxa de entrada nas instituições gratuitas é de quase 25%. “A taxa bruta subiu de 16% para 25% em seis anos. A líquida é que está longe da meta”, completa o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes. Por taxa líquida, entende-se a a taxa na faixa etária indicada no PNE. “Ainda temos muita repetência e evasão no ensino básico e, com isso, os jovens chegam fora de faixa etária no vestibular”, completa.

Ensino Superior - 1

Retirado IG Educação:

Ensino superior tem quase 1,5 milhão de vagas ociosas, 98% está nas particulares.

O crescimento do número de matrículas no ensino superior entre 2007 e 2008 não acompanhou a expansão das vagas. Em todo o País, foram registradas 1.479.318 vagas não preenchidas de acordo com informações do Censo da Educação Superior, divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério da Educação (MEC).

As instituições privadas respondem por 98% dessas vagas. Entre 2007 e 2008, o aumento de vagas ociosas foi de 10%. Apesar de alto, ainda é menor do que o registrado no período anterior, de 13%. O relatório aponta que é preciso analisar as razões para um número tão grande de vagas desocupadas, pois “a oferta deve refletir a capacidade instalada do setor para atender à demanda por cursos de graduação”.

Outro dado apresentado pelo censo é o índice de conclusão de curso. Pouco mais da metade dos estudantes (57,3%) conseguiu se formar. A taxa de conclusão foi calculada pela razão entre o número de concluintes de 2008 e os ingressantes de 2005.

As menores taxas de conclusão registradas em 2008 são de instituições privadas: 55,3%. Entre as públicas o índice é de 65%, chegando a 67% na rede federal.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

"Elis por Nós"

A Cia. de Dança foi criada em 2006 como um projeto que objetiva estimular as potencialidades e proporcionar a formação artística e técnica dos jovens na área da dança, proporcionando a concretização do sonho de ser bailarinos, professores, coreógrafos. É formada por jovens de 14 a 19 anos, moradores da Zona Noroeste e dos Morros.
O primeiro espetáculo produzido pelo grupo, Dançando Chico Buarque , estreou em agosto e foi levado a diversos públicos, possibilitando que crianças, jovens, adultos e idosos pudessem conhecer a obra de Chico Buarque , provando a universalidade da música e dança, cuja mensagem foi plenamente partilhada por pessoas e comunidades.

Pautado exclusivamente nas músicas interpretadas por Elis Regina, o espetáculo “Elis por nós” é fruto de um trabalho que buscou, principalmente, enfatizar o protagonismo dos bailarinos, sendo estes responsáveis dentro do processo criativo por duas criações coletivas. Sob a direção geral de Edvaldo Costa e direção coreográfica de Fábio de Souza o espetáculo tem cerca de 1 hora de duração, com treze coreografias que misturam diferentes expressões da dança. Querelas, o Bêbado e a Equilibrista, Gracias a la vida, Romaria, Casa no Campo, dentre outras, retratam a irreverência, a diversidade e a ousadia de um verdadeiro ícone da música popular. Expressar o canto de Elis, sendo tão forte e tão perfeito, comparado a um instrumento, é um grande desafio, encarado por esse grupo com respeito e amor incondicional à dança, tanto quanto Elis amava a música.

O espetáculo estréia no dia 26 de novembro de 2009 às 20h30 no Teatro Coliseu.
Maiores informações sobre a Cia de Dança e sobre os convites é só entrarem em contato com o Centro da Juventude da Zona Noroeste (3291 - 1845).

Fotos: Acervo do Centro da Juventude da Zona Noroeste


Inté lá pessoal

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Jogo - "Salve o Mico"

Clique aqui para jogar "Salve o Mico"



Espero que gostem

Inté mais

CONHECIMENTO REBELDE E ENQUADRADO - Pedro Demo (parte 4-final)

Leia também a parte 1, a parte 2 e a parte 3

CONCLUINDO

A wikipedia mantém chefes carismáticos (O’Neil, 2009), em particular Wales, como referência indiscutível, à revelia da declamação pomposa de produção livre e igualitária. Passo a passo, o projeto foi sendo engessado burocraticamente, em parte por necessidade de organização e qualificação dos textos, em parte para superar vandalismos de toda ordem, em parte por disputas de poder. Não parece longe a possibilidade de se instaurar textos “definitivos”, que já não se poderiam editar mais, em nome de metodologias enrijecidas. Já não se aceitam mais textos anônimos. A idéia original de contar com o bom caráter dos editores está bastante arranhada, porque, embora valendo como princípio salutar de convivência, na prática tornou os textos vulneráveis em excesso. Aí parece haver uma disjuntiva: ou se mantém o compromisso original de que “todos podem editar”, deixando os textos sempre abertos, ou se avança na direção oposta de estabilizar produtos em nome da expertise. Penso que a wikipedia não deveria desfigurar-se para se tornar mais uma enciclopédia, entre tantas. Seu charme maior está no cultivo de um ambiente de produção rebelde de conhecimento, ainda que mais da ordem da “compilação” (remix). Por isso, também, não deveria pretender substituir outros projetos, mas apresentar-se como alternativa pertinente, o que, sem dúvida, continua sendo.

O abuso da liberdade não pode descambar para sua supressão. A wikipedia, mal ou bem, mostra que consensos negociados são possíveis, desde que mantidos como propostas abertas. Isto suscita a preferência pela autoridade do argumento, da qual vive a cidadania que sabe pensar. Finalmente, saber pensar desceu à terra, porque, “todos podendo editar”, tornou-se viável também para pessoas não especialistas. Deveria, porém, rever pretensões ineptas de “neutralidade” ou coisa parecida, porque isto a torna tanto mais exposta e contraditória. Os textos não são, nem de longe, “neutros”, mas disputados dentro de regras de jogo igualitárias. Em vez de alinhar os editores, seria mais interessante ensaiar um pedagogia de rivalidades éticas e produtivas, em nome do bem comum...


BIBLIOGRAFIA

A Vision of Students Today (Video). 2009. http://br.youtube.com/watch?v=dGCJ46vyR9o
ALESSO, H.P. & SMITH, C.F. 2009. Thinking on the Web - Berners-Lee, Gödel and Turing. Wiley, New York.

ANDREW, A.M. 2009. A Missing Link in Cybernetics – Logic and continuity. Springer, New York.
ARRIGHI, G. 1996. O Longo Século XX. Ed. UNESP, São Paulo.

BARTHES, R. 1968. A Morte do Autor. http://www.facom.ufba.br/sala_de_aula/sala2/barthes1.html
BAUERLEIN, M. 2008. The Dumbest Generation: How the Digital Age Stupefies Young Americans and Jeopardizes Our Future (Or, Don't Trust Anyone Under 30). Tarcher, New York.

BENKLER, Y. 2006. The Wealth of Networks - How social production transforms markets and freedom. Yale Univ. Press, New York.
BOURDIEU, P. & PASSERON, J.C. 1975. A Reprodução - Elementos para uma teoria do sistema educativo. Francisco Alves, Rio de Janeiro.

BURKE, P. 2003. Uma História Social do Conhecimento – De Gutenberg a Diderot. Zahar Editores, Rio de Janeiro.
CASTELLS, M. 1997. The Rise of the Network Society - The information age: Economy, society and culture. Vol. I. Blackwell, Oxford.

COLLINS, R. 1998. The Sociology of Philosophies – A global theory of intellectual change. The Belknap Press of Harvard University Press, Cambridge, Massachusetts.
DARDER, A., BALTODANO, M.P., TORRES, R.D. (Eds.). 2009. The Critical Pedagogy Reader. Routledge, London.

DAWKINS, R. 1998. The Selfish Gene. Oxford University Press, Oxford.
DEMO, P. 1973. Herrschaft und Geschichte – Zur politischen Gesellschaftstheorie Freyers und Marcuses. Anton Hain Verlag, Meisenheim.

DEMO, P. 1982. Intelectuais e Vivaldinos - Da crítica acrítica, São Paulo, ALMED.
DEMO, P. 1988. Ciência, Ideologia e Poder - Uma sátira às ciências sociais, São Paulo, Atlas.

DEMO, P. 1994. Pesquisa e Construção do Conhecimento – Metodologia científica no caminho de Habermas. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.
DEMO, P. 1995. Metodologia Científica em Ciências Sociais. Atlas, São Paulo.

DEMO, P. 2000. Metodologia do Conhecimento Científico. Atlas, São Paulo.
DEMO, P. 2000b. Certeza da Incerteza. Plano, Brasília.

DEMO, P. 2002. Complexidade e Aprendizagem – A dinâmica não linear do conhecimento. Atlas, São Paulo.
DEMO, P. 2004. Sociologia da Educação – Sociedade e suas oportunidades. LiberLivro, Brasília.

DEMO, P. 2005. Argumento de Autoridade X Autoridade do Argumento. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.
DEMO, P. 2005a. Éticas Multiculturais - Sobre convivência humana possível. Vozes, Petrópolis.

DEMO, P. 2007. Pobreza Política – A pobreza mais intensa da pobreza brasileira. Autores Associados, Campinas.
DEMO, P. 2008. Fundamento sem Fundo. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.

DEMO, P. 2009. Não vemos as coisas como são, mas como somos. http://pedrodemo.sites.uol.com.br/textos/comosomos.html
DEMO, P. 2008a. Metodologia para quem quer aprender. Atlas, São Paulo.

DEMO, P. 2009a. “Tecnofilia” & “Tecnofobia”. In: Boletim Técnico do Senac, V. 35, N. 1, jan./abr., p. 5-17.
DEMO, P. 2009b. Saber Pensar É Questionar. LiberLivro, Brasília.

DEMO, P. 2009c. Qualidade Humana. Autores Associados, Campinas.
EDELMAN, G.M./TONONI, G. 2000. A Universe of Consciousness – How matter becomes imagination. Basic Books, New York.

FEYERABEND, P. 1977. Contra o Método. Francisco Alves, Rio de Janeiro.
FOUCAULT, M. 2000. A Ordem do Discurso. Loyola, São Paulo.

FOUCAULT, M. 2004. A Hermenêutica do Sujeito. Martins Fontes, São Paulo.
FOUCAULT, M. 2007. Vigiar e Punir. Vozes, Petrópolis.

FRASER, N. 1992. Rethinking the Public Sphere: A contribution to the critique of actually existing democracy. In: Calhoun, G. (Ed.), 1992. The MIT Press, Massachusetts, p. 109-142.
FREIRE, P. 1997. Pedagogia da Autonomia – Saberes necessários à prática educativa. Paz e Terra, Rio de Janeiro.

FREIRE, P. 2006. Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra, Rio de Janeiro.
FREITAG, B. 2005. Dialogando com Jürgen Habermas. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.

FRIEDMAN, T.L. 2005. O Mundo é Plano - Uma breve história do século XXI. Objetiva, Rio de Janeiro.
GADAMER, H.-G. 1997. Verdade e Método – Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Vozes, Petrópolis.

GARDNER, J. 2007. The Intelligent Universe - AI, ET, and the Emerging Mind of the Cosmos. New Page Books, Franklin Lakes.
GIERE, R.N. 1999. Science Without Laws. The University of Chicago Press, Chicago.

GIROUX, H.A. 2009. Critical Theory and Educational Practice. In: Darder, A., Baltodano, M.P., Torres, R.D. (Eds.). 2009. The Critical Pedagogy Reader. Routledge, London, p. 27-51.
GOULD, S.J. 2002. The Structure of Evolutionary Theory. The Belknap Press of Harvard Univ., Cambridge (MA).

GROSSI, E. P. 2004. Por aqui ainda há quem não aprende? Paz e Terra, Rio de Janeiro.
HAACK, Susan. 2003. Defending Science within reason – Between scientism and cynicism. Prometheus Books, New York.

HABERMAS, J. 1989. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro.
HOBSBAWM, E. 1995. Era dos Extremos – O breve século XX – 1914-1991. Companhia das Letras, São Paulo.

JENSEN, H.J. 1998. Self-Organized Criticality - Emergent complex behavior in physical and biological systems. Cambridge University Press.
JOHNSON, Steve. 2001. Emergence – The connected lives of ants, brains, cities, and software. Simon & Shuster, New York.

HOLLAND, J.H. 1998. Emergence – From chaos to order. Helix Books, Massachusetts.
HOLLOWAY, John. 2003. Mudar o Mundo Sem Tomar o Poder. Viramundo, São Paulo.

HOWE, J. 2009. Crowdsourcing: Why the power of the crowd is driving the future of business. The Three Rivers Press, New York.
KEEN, A. 2007. The Cult of the Amateur. Nicholas Brealey Publishing, London.

KUHN, T.S. 1975. A Estrutura das Revoluções Científicas. Ed. Perspectiva, São Paulo.
KURZWEIL, R. 2005. The Singularity Is Near - When humans transcend biology. Viking, New York.

LATTERELL, C.G. 2006. Remix - Reading + composing culture. Bedford/St. Martin’s, New York.
LEWIS, T., AMINI, F., LANNON, R. 2000. A General Theory of Love. Random House, New York.

LIH, A. 2009. The Wikipedia Revolution. Hyperion, New York.
MASSUMI, B. 2002. Parables for the Virtual - Movement, affect, sensation. Duke University Press, London.

MATURANA, H. 2001. Cognição, Ciência e Vida Cotidiana. Organização de C. Magro e V. Paredes. Ed. Humanitas/UFMG, Belo Horizonte.
MOROWITZ, H.J. 2002. The Emergence of Everything. Oxford University Press, Oxford.

NATURE’S RESPONSE TO ENCYCLOPEDIA BRITANNICA. N.d. http://www.nature.com/nature/britannica/index.html O’NEIL, M. 2009. Cyber Chiefs - Autonomy and authority in online tribes. Pluto Press, New York.
PLANT, S. 1999. Mulher Digital - O feminino e as novas tecnologias. Editora Rosa dos Tempos, Rio de Janeiro.

PORTOCARRERO, V. (Org.). 1994. Filosofia, História e Sociologia das Ciências – Abordagens Contemporâneas. Ed. FIOCRUZ, Rio de Janeiro.
RESCHER, N. 1987. Forbidden Knowledge: And other essays of the philosophy of cognition (Episteme, Vol 13). D. Reidl Publisher Co., Dordrecht.

RHEINGOLD, H. 2002. Smart Mobs - The next social revolution. Basic Books, New York.
SANTOS, B.S. & MENESES, M.P. (Orgs.). 2009. Epistemologia do Sul. Almeida, Portugal.

SANTOS, B.S. 1995. Toward a New Common Sense – Law, science and politics in the paradigmatic transition. Routledge, New York.

SANTOS, B.S. 2004. Conhecimento Prudente para uma Vida Decente – “Um discurso sobre as Ciências” revisitado. Cortez, São Paulo.
SANTOS, B.S. (Org.). 2009. As Vozes do Mundo. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro.SHATTUCK, R. 1996. Forbidden Knowledge – From Prometheus to pornography. St. Martin’s Press, New York.

SPARIOSU, M.I. 2005. Global Intelligence and Human Development - Toward an ecology of global learning. The MIT Press, Massachusetts.
SPARIOSU, M.I. 2006. Remapping Knowledge - Intercultural studies for a global age. Bergham Books, New York.

TAPSCOTT, D. & WILLIAMS, A.D. 2007. Wikinomics - How mass collaboration changes everything. Penguin, London.
TAPSCOTT, D. 2009. Growing Up Digital - How the net generation is changing your world. McGraw Hill, New York. WEINBERGER, D. 2007. Everything Is Miscellaneous - The power of the new digital disorder. Times Book, New York.

WEBER, M. 1978. Economy and Society. University of California Press.
WIKIPEDIA. 2009. Wikipedia, a Enciclopédia libre. http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1gina_principal

WINOGRAD, M. & HAIS, M.D. 2008. Millennial Makeover - MySpace, YouTube & the Future of American Politics. Rutgers University Press, London.
WOLFRAM, W. 2002. A New Kind of Science. Wolfram Media, Champaign, IL
WRIGHT, R. 2000. Non Zero – The logic of human destiny. Pantheon Books, New York.

Inté mais

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Teoria da Diversão

Essa é a proposta apoiada pela Volkswagen (isso mesmo, aquela empresa de carros e caminhões).

Curiosidade muda a atitude? Gera conhecimento? Acho que nem precisa de legendas para entender.

Maior Lata de Lixo do Mundo


Escadaria Piano


Inté mais

Manejo Xixová Japuí

Olá pessoal, segue a dica da Oficina de Planejamento do Plano de Manejo do Parque Estadual Xixová-Japuí.

Dando continuidade à revisão e complementação do plano de manejo do Parque Estadual Xixová-Japuí, a Fundação Florestal tem a honra de convidar Vossa Senhoria para
participar da próxima oficina de planejamento.

Os objetivos dessa oficina são elencar as atividades de proteção e interação sócio-ambiental, as parcerias, o cronograma, estratégias e priorização de implantação.

data: 06 de novembro de 2009
hora: 9:00h às 17h
local: Restaurante Ti Maria (ex-restaurante Leão de Ouro)
endereço: Av. Antônio Rodrigues, 436 (Gonzaguinha)- São Vicente/SP

Quais os objetivos dos programas dessa oficina?

O Programa de Proteção Ambiental objetiva prevenir, coibir e punir quaisquer atividades que venham a ameaçar ou causar danos à conservação da biodiversidade, do patrimônio histórico-cultural da UC, bem como das instalações e equipamentos destinados a sua gestão e manejo. Aspectos tais como demarcação e sinalização dos limites da UC, prevenção e combate ao incêndio, proteção dos bens patrimoniais da UC devem ser tratados neste Programa.

O Programa de Interação Sócio-ambiental visa agregar atividades voltadas à aproximação entre a sociedade local e regional e o PEXJ, promovendo melhor entendimento e possibilitando oportunidades para o empreendedorismo, co-gestão e parcerias com instituições públicas, privadas e não governamentais.

Favor confirmar sua presença pelos telefones 13-3567.2190/2199 e 3567.1767 - h/c, ou pelo mail pe.xixovajapui@gmail.com. O número de convidados é limitado e o convite é nominal. Caso não possa participar, solicitamos informar o substituto ou mesmo a desistência de comparecimento.

Tudo bem que sexta -feira o dia inteiro é dose, mas taí uma oportunidade de debater o futuro do Parque..
Inté mais...

domingo, 1 de novembro de 2009

Losing My Religion (Perdendo Minha Religião)



Oh, Life is bigger - A vida é maior,
It's bigger than you - É maior do que você,
And you are not me - E você não está em mim
The lengths that I will go to - Os extremos que eu irei até
The distance in your eyes - A distância em seus olhos.
Oh no I've said too much - Oh, não, eu falei demais,
I set it up - Eu puxei o assunto...

(Bridge) - (Ponte)
That's me in the corner - Aquele sou eu na esquina,
That's me in the spot light - Aquele sou eu no centro das atenções,
Losing my religion - Perdendo minha religião,
Trying to keep up with you - Tentando me igualar a você,
And I don't know if I can do it - E eu não sei se eu consigo fazer isso....
Oh no, I've said too much - Oh, não, eu falei demais,
I haven't said enough - Eu não disse o suficiente.

(Chorus)- (Refrão)
I thought that I heard you laughing - Eu pensei ter ouvido você rindo,
I thought that I heard you sing - Eu pensei ter ouvido você cantar,
I think I thought I saw you try - Eu pensei ter visto você tentar...

Every whisper - Cada sussurro
Of every waking hour - De cada hora acordado,
I'm Choosing my confessions - Estou escolhendo minhas confissões,
Trying to keep an eye on you - Tentando ficar de olho em você,
Like a hurt, lost and blinded fool (fool!) - Como um bobo magoado, perdido e cego (bobo!)
Oh no I've said too much - Oh, não, eu falei demais,
I set it up - Eu puxei o assunto...

Consider this (2x) - Considere isto [como]
The hint of the century - A dica do século,
Consider this - Considere isto [como]
The slip that brought me - O deslize que me deixou
To my knees failed - De joelhos, fracassado.
What if all these fantasies - E o que aconteceria se todas essas fantasias
Come flailing around - Chegassem se debatendo?
Now I've said too much - Agora eu falei demais...

(Chorus)- (Refrão)
I thought that I heard you laughing - Eu pensei ter ouvido você rindo,
I thought that I heard you sing - Eu pensei ter ouvido você cantar,
I think I thought I saw you try - Eu pensei ter visto você tentar...

But that was just a dream - Mas aquilo era apenas um sonho,
That was just a dream - Aquilo era apenas um sonho...

(Bridge) - (Ponte)
That's me in the corner Aquele sou eu na esquina,
That's me in the spot light - Aquele sou eu no centro das atenções,
Losing my religion - Perdendo minha religião,
Trying to keep up with you - Tentando me igualar a você,
And I don't know if I can do it - E eu não sei se eu consigo fazer isso....
Oh no, I've said too much - Oh, não, eu falei demais,
I haven't said enough - Eu não disse o suficiente.

(Chorus) - (Refrão)
I thought that I heard you laughing - Eu pensei ter ouvido você rindo,
I thought that I heard you sing - Eu pensei ter ouvido você cantar,
I think I thought I saw you try - Eu pensei ter visto você tentar...

But that was just a dream - Mas aquilo era apenas um sonho
(Try ... cry ... why ... try) - (Tente... chore... por quê... tente)
That was just a dream - Aquilo era apenas um sonho,
just a dream, just a dream, dream... - apenas um sonho, apenas um sonho... Sonho...

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Fotógrafo francês cria 'dia-a-dia em miniatura'

fonte BBC Brasil

Um artista francês utiliza bonecos de plástico em miniatura para reproduzir cenas da vida cotidiana.

O fotógrafo e designer gráfico Vincent Bousserez diz que começou a tirar as fotos da série "Plastic Life" (ou "vida plástica", em tradução livre) depois de se encantar com uma loja de miniaturas que começou a frequentar levado por um amigo.

"Essas fotos em "close" eliminam a distância entre o olho do espectador e a cena que ele descobre", descreveu Bousserez à BBC Brasil.

"Ele entra em um mundo estranhamente similar ao dele e diferente ao mesmo tempo. Cada foto se torna um roteiro poético e bem-humorado que pode ser interpretado como a denúncia dos vícios de nosso tempo."

Ele diz que a ideias das fotos vêm espontaneamente. "Na maioria das vezes, eu compro esses bonequinhos sem pensar em uma cena. Eu simplesmente os carrego comigo. E quando estou em algum lugar e vejo algo, a inspiração vem naturalmente", conta.

Ao criar, o artista se compara com "uma criança". "Eu interrompo a conversa, apanho esta ou aquela mobília que descobri, pego os bonecos e componho minha natureza morta. Adapto a luz e então tiro as fotos", afirma.

"É espontâneo, natural, baseado no humor. Não quero pensar muito e elaborar algo muito profundo. Prefiro deixar minha imaginação fluir, e quando uma cena humorística me vem à mente, eu não hesito, não espero, organizo minhas coisas e a torno real!"

Desde que começou a ser publicada em 2008, "Plastic Life" foi exibida em diversas revistas e jornais franceses, e em galerias em Paris e Geneva - incluindo a Bailly Contemporain e Charly Bailly, que representam o artista. Bousserez diz que está agora à procura de editoras dispostas a transformar a obra em livro.

Hoje diretor de uma agência de propaganda, o parisiense nascido em 1973 diz que "fotografia e design gráfico pessoal têm um grande espaço na minha vida: toda noite, todo dia antes de ir para o trabalho, e aos fins de semanas" e que "às vezes, se não tivesse de dormir, usaria as noites para criar mais".

"Mas agora não posso continuar mais, pois há cinco meses sou pai e quero dedicar mais tempo à minha filha Lucie e minha noiva, Bénédicte."

Para ver outras imagens do fotógrafo cliquem aqui



Curso Gratuito de Animação/ Desenho Animado

Ministério da Cultura oferece curso gratuito de animação 2D à distancia

COMO FUNCIONA

O curso de formação de animadores a distância AnimaEdu utiliza exclusivamente o sistema de ensino baseado na interação virtual entre aluno e tutor, através da Internet.

A primeira turma do projeto funcionará de maneira experimental, com alunos selecionados a partir do pré-cadastro no site e de seu potencial talento para animação. Com essa primeira experiência, o projeto sofrerá ajustes e só então será aberto para o público em geral. Este primeiro grupo começará o curso em novembro de 2009 e irá concluí-lo até janeiro de 2010.

As próximas turmas deverão começar a partir de março de 2010. Os interessados devem preencher o pré-cadastro para futuro contato da nossa equipe de apoio.

Os alunos matriculados no curso têm acesso a um ambiente restrito no qual podem estudar o material didático, enviar exercícios para seus tutores, consultar o cronograma do curso e interagir com outros usuários do sistema, através de um fórum de discussões interno.

O curso é dividido em módulos que abordam aspectos da animação. A partir do estudo desse material, o aluno realiza os exercícios do módulo e os envia a seu tutor, que avaliará o nível de aprendizagem do aluno, retornando os exercícios através do próprio sistema, com comentários. Dependendo do nível de aprendizado do conteúdo pelo aluno, ele poderá ou não ser solicitado a refazer algum dos exercícios. Se tiver fixado o tema e realizado satisfatoriamente o exercício pedido, ele passa ao próximo módulo do curso e assim segue, até o final.

O contato aluno-tutor é possível durante todo o curso, através da página de Recados, do Fórum e das correções dos exercícios. Além disso, supervisionando o trabalho dos tutores há os coordenadores, que são responsáveis por acompanhar o bom andamento das atividades propostas. Caso tenha algum problema com seu tutor, entre em contato com seu coordenador. Ele terá prazer em resolver imediatamente qualquer dúvida.

No Fórum você também poderá trocar idéias com outros alunos que estejam cursando a formação no mesmo período que você. Como o sistema de ensino do AnimaEdu é individualizado, ou seja, cada aluno tem um tutor, não existe aqui o conceito de usual de "turma". No entanto, como a troca de experiências, dicas e informações é muito rica em nosso meio, estimulamos os alunos a estabelecer contato sempre que possível com seus colegas, seja através do Fórum ou diretramente pela seção Recados.

Num segundo momento do projeto, o site deverá ter uma seção de portfólio para que os ex-alunos possam expor seus trabalhos, tanto aqueles realizados durante o curso, como fora dele. Com o tempo, esperamos que o AnimaEdu se transforme em uma porta de entrada desses novos profissionais no mercado.

Para a realização dos exercícios dos módulos de animação, as ferramentas a serem utilizadas são o software livre Pencil 2D, que é disponibilizado gratuitamente no site: www.pencil-animation.org, um scanner para digitalização dos exercícios dos primeiros módulos e um tablet, que é uma interface digital para desenho, sem a necessidade do uso do papel. A instalação do programa e do tablet é bastante simples. Para os alunos selecionados, nas seções restritas, há manuais específicos para isso.

Maiores informações cliquem aqui

Inté mais e bom curso para todos

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Idéias...

"As idéias que possuimos são capazes de nos possuir"

Edgar Morrin

sábado, 24 de outubro de 2009

Sobre 24 de Outubro...

Sabiam que muita coisa já aconteceu neste dia? Vamos à uma listinha básica:

- Em 1360 é ratificado o Tratado de Brétigny, um dos marcos do fim do primeiro período da Guerra dos Cem Anos;

- No Brasil, em 1930 é deposto o presidente Washington Luiz, ponto culminante da Revolução de 1930, conduzindo Getúlio Vargas ao poder;

- Em 1945 a Organização das Nações Unidas (ONU) é fundada oficialmente, depois da assinatura da sua Carta em São Francisco, Califórnia. O Brasil é um dos primeiros signatários;

- Como gosto de quadrinhos, não posso deixar passar que neste dia em 1915 nasceu Bob Kane, nada mais nada menos que o criador do Batman;

- Além disso em 1924 nascia Aziz Ab'Sáber, importantíssimo geógrafo brasileio;

- Enquanto isso em 1932 era Ziraldo, quadrinista, chargista e escritor, quem vinha à esse mundo.

- Globalmente em 2008 é marcada como a "Sexta-feira negra", início da Crise do Crédito a maior crise econômica mundial desde a Grande Depressão./

Fonte: Wikipedia


Eeee dia agitado esse não???rsrsrs
Inté mais pessoal

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Curta no Blog - Galinha ao Molho Pardo

Galinha ao Molho Pardo
de Feli Coelho (08 min, 2007)

O menino Fernando vive aventuras ao tentar salvar a vida de uma galinha que seria preparada ao Molho Pardo pela cozinheira Alzira, para o almoço de domingo. Filme baseado em conto do livro "O menino no Espelho" de Fernando Sabino.



O engraçado é que a primeira vez que tive contato com este curta foi numa sessão especial lá no Cineclube Lanterna Mágica, onde acompanhamos o filme de olhos vendados, explorando os outros sentidos, tato, olfato e audição, foi uma experiencia muito interessante.

Inté mais

domingo, 18 de outubro de 2009

Por Enquanto



Mudaram as estações e nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Está tudo assim tão diferente

Se lembra quando a gente chegou um dia acreditar
Que tudo era pra sempre
Sem saber que o pra sempre, sempre acaba

Mas nada vai conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguém, só penso em você
E aí então estamos bem

Mesmo com tantos motivos pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar
Agora tanto faz, estamos indo de volta pra casa

Mesmo com tantos motivos pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar
Agora tanto faz, estamos indo de volta pra casa

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Vale Cultura

Câmara aprova criação do Vale-Cultura; projeto vai ao Senado

Claudia Andrade e Piero Locatelli - Do UOL Notícias
Em Brasília

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (14) o projeto que cria o Vale-Cultura, crédito de R$ 50 que deverá ser disponibilizado a trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos (R$ 2.325,00). A proposta, elaborada pelo Executivo, terá ainda de ser analisada pelo Senado Federal antes de ser sancionada.

A relatora do projeto, deputada Manuela D'Avilla (PCdoB-RS), ampliou a concessão do benefício prevista pelo Executivo. O projeto aprovado pela Câmara determina também a obrigatoriedade de fornecimento do crédito a todos os trabalhadores portadores de deficiência que recebam até sete salários mínimos por mês (R$ 3.255,00) e aos estagiários.

Uma emenda apresentada pelo PPS, que estendia o vale aos aposentados do INSS, também foi aprovada. O benefício a eles, entretanto, fica restrito a R$ 30.

Servidores públicos federais que ganhem até cinco salários mínimos também terão direito ao benefício, que será bancado pela União. A proposta autoriza Estados, Distrito Federal e municípios a fornecer o Vale-Cultura aos seus servidores públicos, nos termos das leis de cada ente federado e de acordo com seu orçamento.

No setor privado, o benefício será concedido apenas a funcionários de grandes empresas, que não fazem parte do Simples e que tenham optado pelo Programa de Cultura do Trabalhador, também instituído pelo projeto.

Os beneficiados poderão ter descontado do salário até 10% do valor do Vale-Cultura, ou seja, até R$ 5 mensais. O Vale-Cultura deverá ser disponibilizado por meio de um cartão magnético, com o valor expresso em moeda corrente.

Segundo a proposta, o crédito a ser concedido deverá possibilitar o acesso do trabalhador a produtos e serviços culturais, estimular a visitação a estabelecimentos culturais e artísticos e incentivar o acesso a eventos e espetáculos.

Quem receber mais de cinco salários mínimos por mês também poderá ser beneficiado, desde que todos os empregados que estejam dentro da faixa de renda estabelecida já tenham sido atendidos. Para quem ganha acima do limite previsto no projeto, o desconto poderá ser maior, variando de 20% a 90%, de acordo com a faixa salarial.

As empresas poderão deduzir do imposto de renda pessoa jurídica o valor gasto com o benefício, respeitado o limite de 1% do imposto de renda devido. Se todos os empregados que receberem até cinco salários mínimos forem atendidos e mesmo assim a empresa ainda não tiver atingido a dedução de 1%, poderão estender o benefício a dependentes dos trabalhadores que já recebem o Vale-Cultura.

O benefício cultural não se incorpora ao salário, ou seja, não há incidência de contribuição previdenciária ou do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) sobre ele.

O projeto prevê ainda punições às empresas que desviarem a finalidade do benefício. Elas estarão sujeitas ao cancelamento da inscrição no programa, aplicação de multa, perda ou suspensão de financiamento em estabelecimentos oficiais de crédito durante dois anos, além de proibição de usufruir de benefícios fiscais, pelo mesmo período.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

CONHECIMENTO REBELDE E ENQUADRADO - Pedro Demo (parte 3)

Leia também a parte 1 e a parte 2

V. FUTUROS DA AUTORIA

A wikipedia mostra, apesar de sua história tão curta e também estrondosa, que a autoria já não é propriedade restrita a algumas cabeças privilegiadas. Na prática, é acessível a todos, mesmo na maior simplicidade, porque qualquer pessoa simples também é “autora” de sua vida. Quanto mais a autoria se fecha em certas cabeças, mais se torna argumento de autoridade, maculando seu berço embalado pela liberdade de expressão. Nesta rota, um dos serviços mais importantes da wikipedia é a popularização do “espírito científico”, considerado uma das habilidades do século XXI. Saber lidar com método científico torna-se desafio geral, como parte da formação geral das pessoas. O argumento mais à vista é sempre o do mercado: para poder competir melhor. Mas, do ponto de vista da educação, o argumento crucial é formativo, divisando aí não só a questão do conhecimento, mas principalmente da cidadania. A esfera pública não pode ser ocupada apenas pelo especialista que sabe técnicas sofisticadas da argumentação, mas por todos (“todos podem editar”). Com razão, Fraser (1992) questionou a concepção de esfera pública da Habermas, excessivamente eurocêntrica e patriarcal, refletindo, em parte, a democracia elitista e restrita grega.

O’Neil (2009) apontou para a predominância ainda masculina nos ambientes virtuais, em especial nos mais requintados, ainda que isto esteja mudando rapidamente. Neste sentido, “forças arcaicas” continuam jogando pesado, sem falar nos intermináveis vícios das democracias atuais e por isso colocadas em cheque pela geração net (Tapscott, 2009. Winograd & Hais, 2008). Há um caminho enorme a ser andado até podermos equilibrar a “igualdade de oportunidades”. No entanto, parece claro que a wikipedia tem sido um farol nesta escuridão. Continua sendo um fato que muitas mulheres têm sua autoria atrelado ao homem, à sombra dele, ou gravitando em torno dele. O machismo na internet é público e notório, a começar pela pornografia. No mundo dos hackers a presença feminina ainda é peregrina, bem como na alta ciência. Mas isto pode mudar e deverá mudar (Plant, 1999). A idéia, então, de que “todos podem editar” serve de alento à participação indiscriminada, por mais que regras crescentes restrinjam as liberdades. Em última instância, as mulheres poderiam construir sua própria proposta, uma enciclopédia voltada para sua proposta de sociedade e desenvolvimento e dotada de ambientes mais libertários, ainda que não dicotômica.

Ao fundo, porém, o mais importante é a percepção cada vez mais incisiva de que a energia rebelde, disruptiva do conhecimento questionador precisa tornar-se patrimônio público, o que demandaria, por sua vez, outro formato de enciclopédia: não um repositório compilado do que existe, mas uma fornalha incandescida e talvez ensandecida, de produção de conhecimento de utilidade geral. Não se poderia perder esta tradição virtual, embora presa a expertises raras/carismáticas: conhecimento é tão importante para a sociedade que não poderia ser apropriado, também porque, não sendo nenhuma mente original, o que se produz provém do que outros produziram e vão reconstruir. Idéias são tipicamente bem comum: não devem ser vendidas, nem compradas. Nem em termos pessoais a mente é propriedade, porque somos, em algum sentido, apenas usuários dela. Esta utopia vale a pena. Não deveria jamais ser sufocada em nome do mercado.

É claro que, tornando-se o conhecimento científico de alcance popular, as epistemologias mudam, por vezes, dramaticamente. A tendência será a construção de textos mais “populares”, de compreensão mais acessível, mais curtos (também para caberem na tela), multimodais (modulando argumentos visuais, acústicos, plásticos, movimentados), sugerindo que conhecimento que só alguns entendem não tem maior significado para a sociedade. É preciso sempre ver o que se ganha e perde. Ganha-se em acesso popular, uma dimensão inestimável. Perde-se verticalização, também fundamental. Daí segue que não deveríamos ver aí rivalidades apenas, mas igualmente modos alternativos de cooperação. O conhecimento tradicional, também o positivista, guarda seu lugar, porque demonstrou efetividade imponente. Mas deveria permitir ou promover alternativas de conhecimento, tanto como complemento, quanto como questionamento. É de capital relevância o surgimento de conhecimentos rivais, não só porque, na verdade, sempre existiram, mas principalmente porque o espaço do conhecimento não pode ser ocupado por grupos seletos e que, ao final, são gangues (Santos, 2004).

Pode-se, então, apreciar na wikipedia também seus efeitos pedagógicos em termos de autoria. Quando editores simplórios se metem a editar, pode ocorrer um desastre, naturalmente, mas também um exercício de elaboração com marca formativa, à medida que tomam contato com o espírito científico e, ao lado do método, praticam um tipo de cidadania que sabe argumentar. Este efeito é impagável: aprender a preferir a autoridade do argumento; perceber sua força sem força; apreciar consensos tão bem feitos que podem sempre ser refeitos; fundamentar de tal modo que o texto permaneça discutível, formal e politicamente. Acresce a isto certo tom lúdico: a turma se diverte, enquanto trabalha, e, ao final, aprecia o resultado – uma enciclopédia sem maiores credenciais, mas interessante, útil, criativa e sempre atualizada. Um resultado primoroso é aprender a “pesquisar” e a “elaborar”, num ambiente que empurra as pessoas a preferirem a autoridade do argumento. Neste sentido, pode-se ver aí uma chance imperdível de aprender bem, num espaço interativo, crítico e criativo.

Em seu tom pós-moderno, a wikipedia consagra a noção preciosa de que uma idéia só pode ser “crítica”, se for plural. Idéia única, sendo “idéia fixa”, não passa de argumento de autoridade. É recado crucial para “críticos” sem autocrítica, quando a crítica se torna senha de um povo eleito que se imagina ter o direito de massacrar teorias e práticas rivais. Olhando, por exemplo, a Escola de Frankfurt, o que mais chama a atenção não é uma proposta alinhada e unitária de “teoria crítica”, mas sua imponente diversidade (Darder et alii, 2009. Giroux, 2009. Freitag, 1986). A escola era preenchida de mentes brilhantes e indomáveis que promoviam um “projeto comum” tecido de maneira plural. O lado mais fecundo da teoria crítica é sua verve maiêutica da autocrítica, uma virtude em geral ausente em nossas propostas críticas, porque, ao pretenderem superar donos da verdade, se instauram ainda mais como donos dela. Teoria única, absolutamente válida, é um petardo religioso, um dogma sujo, uma tramóia violenta, por mais que tenha como objetivo abrir as mentes. Ignora, porém, como a wikipedia atual ignora, que mentes não se abrem impondo alinhamentos, censurando a rebeldia alheia, monopolizando a palavra. O tecido infinito de vozes díspares, rivais e complementares, é o texto pós-moderno, no bom sentido, certamente muito mais difícil de “gerir”. É sempre mais fácil gerir tente dócil, mesmo que se diga “crítica”. A wikipedia possui esta graça: retorna à biodiversidade da natureza, plural, esparramada, dinâmica, ambígua. Nenhuma obra final sai daí, porque toda obra é interrupção e continuação, original e surrada. “Todos podem editar” poderia ser traduzido como “todos podem sempre aprender”, sem nunca chegar a algum ponto final (Grossi, 2004). Esta utopia aponta para um estilo de “qualidade humana” em processo infindável de formação aberta, crítica e autocrítica, rival e solidária (Demo, 2009c).

Tudo isso, entretanto, não encobre o tumulto desta esfera pública, porque nela não se brandem só argumentos, mas sacanagens de toda sorte. A wikipedia tem equacionado este desafio razoavelmente, mas encontra questões complicadas e cansativas, azedadas também por seus critérios metodológicos positivistas. O problema é que a wikipedia ainda não consegue apreciar uma “boa discussão”, preferindo textos “neutros”. De um lado, faz parte da tradição enciclopédica: não se dedica a discutir, mas a compilar. De outro, perde-se oportunidade ímpar de iluminar este tipo de esfera pública dedicada à boa argumentação e que sempre é um discurso “discutível”. Os mentores da wikipedia, por ranço positivista, não conseguem valorizar esta dimensão. Como é reprimida, a resposta é a contra-repressão, travestida de vandalismo e atitudes similares agressivas, destrutivas. Possivelmente seria o caso conceber outros formatos de enciclopédia, para abranger o que a wikipedia é: um fórum de discussão aberta sobre produções vigentes de conhecimento, não um sarcófago de textos em decomposição. Em geral, os temas mais caros, sensíveis, tocantes são “controversos”, porque somos, em pessoa, uma controvérsia ambulante. O desafio seria armar ambientes onde a controvérsia pudesse ser relativamente bem comportada e construtiva, podendo-se regular a si mesma em seus riscos de agressão e dissolução. Não há solução para tais riscos, mas poderiam ser “geridos” num sentido democrático aproximado. No fundo, a wikipedia caminha para um texto “estabilizado”, porque considera texto adequado aquele que já não é discutido. Na prática, o ideal seria o contrário: texto pertinente é o que suscita discussão. A beleza maior de um texto está em sua abertura promovida pela autoridade do argumento.

A wikipedia teme que este tipo de discussão aberta levaria a lugar nenhum – discussão interminável. Pode ocorrer – discutir por discutir; criticar tudo sem colocar nada no lugar. Seria de se perguntar, entretanto, se textos estáveis levam a algum lugar melhor. Levariam ao mesmo lugar da enciclopédia tradicional, um mausoléu rebuscado de textos. Não é este o destino da wikipedia, porque é uma sarsa ardente. Neste sentido, vejo com preocupação o avanço da rigidez de regras que contradizem, cada dia mais, às premissas iniciais da liberdade irrestrita de expressão. Houve um tempo em que se sugeria ignorar as regas, em nome da criatividade. Hoje é todo o contrário: só há criatividade tolerável se obedecerem às regras. Uma contradição sarcástica. Aceitar que a ciência é um texto discutível implica mudança radical de epistemologia, porque despe os cientistas de sua autoridade de experto ou de esperto. Entretanto, não é o caso agredir o especialista. Ele é figura central da produção científica. Cabe, porém, reconhecer que não preenche o espaço científico sozinho. Há outros conhecimentos rivais, também relevantes, ainda que não concorram em importância com o científico na cultura eurocêntrica.

Tudo isso desvela, quase como um tapa na cara, a politicidade do conhecimento. Primeiro, pode-se aludir ao sarcasmo contido na própria wikipedia: prega procedimentos neutros em meio ao maior tumulto das guerras de edições. Neste sentido, abriga um faz-de-conta medieval, presente em todas as esferas positivistas: usa a ideologia da neutralidade para impor o silêncio a quem discorda. Segundo, a disputa por verdades, sempre repletas de inverdades, deveria ser substituída pela disputa por argumento, inspirada na autoridade do argumento. Isto não pacifica a comunidade, porque beligerância lhe está na alma também. Mas tempera com alguma ética, para que não se matem todos, não restando ninguém para o enterro. Terceiro, apesar de todas as promessas libertárias, a wikipedia também está pendurada em carismas fortes, cuja interferência é, em geral, engolida sem pestanejar, num gesto terrivelmente pouco democrático. Submissão a carismas é comum entre libertários...

Talvez não seja para se surpreender. A busca de coerência dos textos, em sentido formal, não pode obscurecer que somos criaturas contraditórias. Nossa própria mente, como artefato fisiológico, é uma composição de camadas em parte adaptadas, em parte dissonantes, cujas energias nem sempre são sinérgicas (Lewis et alii, 2000). Pregar a democracia mantendo um sentido forte de liderança é coisa comum em nossa história. Alardear liberdade de expressão e alinhar-se a líderes carismáticos, igualmente. A wikipedia tem este defeito e esta virtude. É defeito, porque promete o que não faz. É virtude, porque reflete a algazarra humana, na qual ter voz quase sempre implica suprimir a voz do outro.

Conclui na parte 4
Fonte:http://pedrodemo.sites.uol.com.br/textos/novasepist.html

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Dia do Professor pelo Mundo

O Dia do Professor como Feriado Nacional

Brasil


No Brasil, o Dia do Professor é comemorado em 15 de outubro.

No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila), Pedro I, Imperador do Brasil baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, "todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras". Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A ideia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima - caso tivesse sido cumprida.

Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia efetivamente dedicado ao professor.

Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como "Caetaninho". O longo período letivo do segundo semestre ia de 1 de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a idéia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa - e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.

O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, Piracicaba, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. A sugestão foi aceita e a comemoração teve presença maciça - inclusive dos pais. O discurso do professor Becker, além de ratificar a idéia de se manter na data um encontro anual, ficou famoso pela frase " Professor é profissão. Educador é missão". Com a participação dos professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a idéia estava lançada.

A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".

Índia

5 de setembro é o Dia do Professor na Índia. É o dia de nascimento do ex-presidente e professor indiano Dr. Sarvapalli Radhakrishnan. Quando o Dr. Radhakrishnan tornou-se o presidente da Índia em 1962, alguns de seus alunos e amigos se aproximaram dele e lhe pediram para permitir que eles comemorassem seu aniversário no dia 5 de setembro. Em resposta, o Dr. Radhakrishnan disse, "Ao invés de comemorar o meu aniversário separadamente, eu ficaria mais orgulhoso se o dia 5 de setembro fosse marcado como o Dia do Professor."

Ele não é um feriado na Índia. É considerado um "dia comemorativo", onde professores e estudantes vão para as escolas como de costume, mas as atividades habituais e de classe são substituídas por atividades de celebração, agradecimentos e recordações. Em algumas escolas neste dia, a responsabilidade de ensinar é deixada por conta dos alunos das séries mais avançadas como uma avaliação por seus professores.

Tradicionalmente, as pessoas na Índia têm tido grande respeito e estima pelos professores. Um antigo ditado indiano (geralmente ensinado para as crianças), coloca o professor em terceiro lugar: "Maata, Pitha, Guru, Daivam", significando a mãe, o pai e o professor é Deus. Há um outro ditado na forma de uma parelha de versos (doha), que diz, "Guru Govind doou khare kake lagon paai? Balihari guru aap ki Govind deeo batai," significando "Eu estou em dificuldade de saber quem saldar primeiro: o professor ou o Deus. Eu escolherei o professor porque ele é um instrumento da sabedoria de meu Deus". Ainda, um ponto central na escritura Hindu mostra "Guru Bramha, Guru Vishnu, Guru devo Maheshwaraha - Gurusakshath parabramha tasmai shree gurve namaha", que se traduz como "O professor é a santíssima trindade. O professor é a manifestação do próprio senhor".

Malásia

16 de maio é o Dia do Professor (malaio: Hari Guru) na Malásia.

Turquia

O Dia do Professor (em turco: Ögretmenler Günü) é comemorado em 24 de novembro na Turquia. O dia 24 de novembro foi dedicado aos professores por Kemal Atatürk. Atatürk achou e declarou que aquela nova geração seria criada por professores. (turco: "Ögretmenler yeni nesil sizin eseriniz olacaktir." - M. Kemal Atatürk)

O Dia do Professor comemorado em dias úteis

Albânia

Na Albânia, o Dia do Professor é um feriado não oficial em 7 de março, um dia antes do Dia das Mães (8 de março).

China

O Dia do Professor foi primeiramente instituído na Universidade Central Nacional em 1931. Foi adotado pelo governo central de Taiwan em 1932 e em 1939 o dia foi transferido para 28 de setembro, que é o dia do aniversário de Confúcio. Foi extinto pelo governo da República Popular da China em 1951 e restabelecido em 1985 sendo que o dia foi novamente mudado para 10 de setembro. Atualmente mais e mais pessoas estão fazendo esforços para retornar o Dia do Professor para o dia de nascimento de Confúcio.

República Tcheca

Na República Tcheca, o Dia do Professor (Den ucitelu) é um feriado não oficial, comemorado em 28 de março, aniversário de Jan Ámos Komenský (Comenius). As crianças levam flores para seus professores. Representantes do governo utilizam este dia para demonstrar agradecimento a esta profissão e premiar os melhores professores.

Irã

O Dia do Professor no Irã é comemorado em 2 de maio (Ordi,behesht 12, no calendário iraniano).

América Latina

O Dia Internacional do Professor na América Latina é 11 de setembro, em comemoração ao dia da morte de Domingo Faustino Sarmiento, um político argentino e pedagogo respeitado. Esta data foi estabelecida na Conferência Interamericana sobre Educação de 1943, no Panamá.

Muitos países latino-americanos, porém, têm uma data separada para comemorar o Dia do Professor de acordo com acontecimentos de sua própria história. No Brasil, o Dia do Professor é 15 de outubro. No México, em setembro de 1917, o Congresso Federal decretou o dia 15 de maio como Dia do Professor (Día del Maestro). No Peru, o Dia do Professor é comemorado em 6 de julho.

Polônia

Na Polônia o Dia do Professor (Dzien Nauczyciela), ou Dia da Educação Nacional (Dzien Edukacji Narodowej) é 14 de outubro. Nesse dia a Komisja Edukacji Narodowej (Comissão de Educação Nacional) foi criada em 1773.

Rússia

Na Rússia o Dia do Professor é 5 de outubro. Antes de 1994, esse dia era comemorado no primeiro domingo de outubro.

Cingapura

Em Cingapura, o Dia do Professor é um feriado oficial escolar, comemorado em 1 de setembro. As comemorações são geralmente realizadas no dia anterior, quando os estudantes têm metade do dia livre.

Eslováquia

Na Eslováquia, o Dia do Professor (Den ucitelov) é um feriado não oficial, comemorado em 28 de março, aniversário de Jan Ámos Komenský (Comenius).

Coréia do Sul

Na Coréia do Sul o Dia do Professor (스승의 날) é 15 de maio. Nesse dia, os professores são geralmente presenteados com cravos por seus alunos e ambos desfrutam de um dia escolar mais curto. Ex-estudantes prestam seus respeitos aos seus antigos professores visitando-os e oferecendo-lhes presentes. Atualmente muitas escolas por todo o país suspendem suas aulas para comemorarem esta data.

Taiwan

Na República da China (Taiwan) é comemorado em 28 de setembro. O dia presta homenagem às virtudes, às dificuldades dos professores e também as suas contribuições não apenas em relação aos seus próprios alunos, mas também para com toda a sociedade. As pessoas geralmente aproveitam o dia para expressar sua gratidão aos seus professores, tais como lhes fazendo uma visita ou enviando-lhes um cartão. Esta data foi escolhida por comemorar o nascimento de Confúcio, que se acredita ter sido o modelo de mestre e educador da antiga China.

Em 1939, o Ministério da Educação estabeleceu que o feriado nacional seria em 27 de agosto, atribuído ao dia de nascimento de Confúcio. Em 1952, o governo o mudou para setembro, alegando ser esta a data correta pelo Calendário gregoriano.

O festival comemorativo acontece nos templos de Confúcio espalhados por toda a ilha, conhecido como a "Grande Cerimônia Dedicada a Confúcio" (祭孔大典). A cerimônia acontece às seis horas da manhã com batida de tambores. 54 músicos vestindo roupões com cintos azuis, 36 (ou 64) dançarinos vestidos de amarelo com cintos verdes. Eles são conduzidos pelo chefe descendente de Confúcio (atualmente Kung Te-cheng) e acompanhado por oficiais do cerimonial. Três animais -- a vaca, a cabra, e o porco -- são sacrificados. A pelagem retirada desses animais sacrificados é chamada de Cabelos da Sabedoria.

Além disso, institutos locais de educação e órgãos civis oferecem prêmios a determinados professores por suas influências excelentes e positivas.

Tailândia

16 de janeiro foi adotado como o Dia do Professor na Tailândia por uma resolução do governo em 21 de novembro de 1956. O primeiro Dia do Professor aconteceu em 1957.

Estados Unidos da América

Nos Estados Unidos da América, o Dia do Professor é um feriado não oficial na terça-feira da primeira semana de maio.

A Associação de Educação Nacional (National Education Association) descreve o Dia Nacional do Professor como "um dia para homenagear os professores e reconhecer todas as contribuições duradouras que eles realizam em nossas vidas".

A Associação apresenta uma história do Dia Nacional do Professor: A origem do Dia do Professor não é precisa. Por volta de 1944 um professor de Arkansas Mattye Whyte Woodridge começou a se corresponder com líderes políticos e educacionais sobre a necessidade de se ter um dia nacional para homenagear os professores. Woodbridge escreveu para Eleanor Roosevelt que em 1953 convenceu o Congresso dos Estados Unidos a proclamar o Dia Nacional do Professor.

A Associação juntamente com seus estados afiliados Kansas e Indiana e Dodge City (Kansas) pressionaram o Congresso para criar um dia nacional para os professores. O Congresso declarou 7 de março de 1980, como o Dia Nacional do professor apenas para aquele ano.

A Associação de Educação Nacional e seus afiliados continuaram a comemorar o Dia do Professor na primeira terça-feira de março até 1985, quando a Associação Nacional de Pais e Professores estipulou a Semana de Avaliação do Professor na primeira semana de maio. A Assembléia Representativa da Associação de Educação Nacional então votou para que se fizesse na terça-feira daquela semana o Dia Nacional do Professor.

A partir de 7 de setembro de 1976, foi adotado o Dia do Professor em 11 de setembro no estado de Massachusetts.

Vietnã

No Vietnã, o Ngày nhà giáo Viêt Nam (Dia do Educador Vietnamita) cai em 20 de novembro. Naquele dia, os estudantes têm o dia livre, mas se espera que eles visitem seus atuais e antigos professores em suas casas e lhes levem flores para demonstrar sua consideração.

Inté mais professores

domingo, 11 de outubro de 2009

Evolussaum



è né, inté +

3° SARAU CAIÇARA – Pinacoteca Benedito Calixto (18/10)

por Adriane Almeida

A Pinacoteca Benedito Calixto será palco de uma manifestação que vem reunindo cada vez mais adeptos e despertando a reflexão sobre a importância de nossa identidade cultural. Artistas, músicos, pesquisadores e escritores do litoral paulista, preocupados com sua herança histórica e com a formação de uma arte contemporânea caiçara, realizarão em 18 de outubro, domingo, a partir das 14 hs, o 3º Sarau Caiçara.

A 3° edição do evento comemorará a apresentação do projeto de lei para a instituição do “Dia do Caiçara” no calendário de Santos, litoral paulista. Fruto da pesquisa de Márcio Barreto, presidente do Instituto Ocanoa e organizador do evento, foi apresentado pela vereadora Telma de Souza (PT) na Sessão da Câmara e encaminhado para as comissões técnicas do Legislativo. Segundo Telma de Souza, tudo o que se fizer em torno desta data, a fim de homenagear, debater ou discutir, ajudará a definir a identidade caiçara, pois “A identidade de um povo é condição primordial para que ele saiba seu lugar no tempo e no espaço, para que tenha consciência histórica, com respeito às suas grandezas, sua arte, cultura e modo de vida”.

O evento anterior, também na Pinacoteca, contou com um público de mais de cem pessoas e a participação de artistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e litoral paulista. Esta edição contará com a participação de Flavio Viegas Amoreira (Santos /SP) - escritor vanguardista, importante colaborador de jornais e sites, poeta, jornalista e agitador cultural apresentará um poema especialmente escrito para o encontro; Percutindo Mundos (São Vicente /SP), grupo experimental de música contemporânea caiçara que atua na criação de uma arte caiçara contemporânea através da música, vídeo, literatura, arte-educação e filosofia; Ademir Demarchi (Maringá /PR), escritor com livros publicados no Brasil e exterior, formado em Letras - Francês, com Mestrado (UFSC) e Doutorado (USP) em Literatura Brasileira, é editor da revista BABEL, de poesia, crítica e tradução;; Adilson Félix (Santos /SP), fotógrafo premiado internacionalmente, cujos trabalhos vão da alta moda em Paris e Nova Iorque à AIDS em Uganda e aos conflitos religiosos no Oriente Médio; Zéllus Machado (Santos /SP), músico, compositor, ator, artista multimídia, tem seus trabalhos semeados na literatura, no teatro, na música e na cultura caiçara; Tubarão (Santos /SP), escritor, artista plástico e arte-educador, expressa-se através de sua "Arte Dulixo" - um conceito que trabalha com diversas manifestações artísticas e culturais; Wylmar Santos (São Vicente /SP), músico, intérprete, compositor e pesquisador, no seu trabalho mergulha no universo de compositores malditos e em suas composições com parceiros; Biga Appes (São Vicente /SP), fotógrafa e agitadora cultural, participará com exposição de fotografias que retratam o universo caiçara urbano; GatoNinja (São Paulo /SP), rapper e escritor que atua no litoral paulista e São Paulo, envolvido com a literatura periférica e a música; Cyro Barreto (São Paulo /SP), poeta da novíssima geração, jovem escritor cujo vigor e profundidade poética se mesclam na improvisação do free style; Andréia Passos (São Paulo /SP), cantora, pianista e compositora paulistana; Coral Fosfertil Baixada Santista com a regência da maestrina, pesquisadora e escritora Meire Berti (Santos /SP); AnaK Albuquerque (Cubatão /SP) e Giovane Nazareth (Cubatão /SP) com o projeto “Aluminarte” - esculturas feitas a partir da fundição de latas de alumínio recicladas; José Geraldo Neres (Diadema /SP), poeta, ficcionista, roteirista, atua na área de Gestão Cultural como produtor e arte-educador, ministrando oficinas literárias; Kiussam de Oliveira (Diadema /SP), pedagoga, bailarina, coreógrafa, Doutora em Educação e Mestre em Psicologia (USP), atua como gestora pública na Secretaria de Educação de Diadema, arte-educadora ministrando oficinas sobre empoderamento feminino a partir da pedagogia da afrodescendência através da Dança Mítica dos Orixás; Marcelo Gama (Santos /SP), escritor, compositor, jornalista, agitador cultural e representante dos Novos Praianos; Márcia Costa (Santos /SP), jornalista e produtora cultural; Alessandro Atanes (Santos /SP), jornalista, escritor, músico e compositor; Erika Karnauchovas (Santos /SP), mestre em Artes Cênicas com a pesquisa "Um processo criativo em dança contemporânea”: a simbiose Pedra / Osso na conexão entre os Princípios da Eutonia e os Fatores do Movimento, concluída em 2008 no Instituto de Artes da Unesp, SP; Christy-ane Amici (Santos /SP), atriz e bailarina que apresentará um fragmento da peça “Atro Coração”; Adriane Almeida (Santos /SP), educadora e bióloga com a performance teatral “Ciranda Caiçara” representada pelos alunos da Escola Municipal Lucio (São Vicente /SP) e Anna Fecker (Santos /SP), atriz e modelo.

Segundo Márcio Barreto “O Sarau Caiçara possibilita o encontro de artistas, jornalistas e pesquisadores em torno da reflexão sobre nossa identidade cultural, base para a criação artística de nossa região”. As outras edições aconteceram em Santos, São Vicente e Paraty, Rio de Janeiro. O evento é gratuito.

Inté mais

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sarau da V.I.D.A. - 17 de Outubro

Convido todos a aprticiparem do próximo Sarau da V.I.D.A., evento que estou ajudando a organizar, será realizado no próximo dia 17 a partir das 15:00h, no Engenho dos Erasmos, ótima oportunidade de conecer ações de educação ambiental e curtir algumas atividades culturais, o evento é gratuito e além disso recolheremos óleo de cozinha usado e Garrafas PET que serão utilizados nas nossas ações de confecção de sabão e vassouras.Abaixo o cartaz de divulgação, podem copiar e divulgar.

Inté mais